Mas afinal, o que é um equipamento de Vibropolimento?

     É um equipamento vibro-energético que tem como função básica promover uma certa ação mecânica que ocasione atrito adequado entre peças e chips que vibram no interior de sua caçamba.

     Para que o equipamento seja funcional, este atrito deve ter características apropriadas de amplitude e freqüência de vibração e tem de provocar uma trajetória ideal de deslocamento de carga (chips + peças) durante o trabalho dentro da caçamba. Os equipamentos que não possuem essas características, geralmente não conseguem resultados de acabamentos superiores aos obtidos nos velhos tamboreadores giratórios.

     Basicamente podemos dividir um equipamento ROGER de vibropolimento em:

•  Caçamba: cuba de retenção de carga de trabalho, onde ocorre o processo de atrito entre chips e peças. Fabricada em aço carbono, com revestimento interno adequado.

•  Motovibrador: conjunto gerador de ação mecânica, composto por motor elétrico que possui contrapesos assimétricos nas extremidades de seu eixo. É fixado à caçamba e consequentemente vibram em conjunto.

•  Base: estrutura que dá sustentação á máquina.

•  Molas: unidades entre a base e a caçamba que possibilitam a vibração da parte superior.

 

 

 

 

 

 

 


 

 





     Um equipamento de vibropolimento deve ser projetado criteriosamente para que funcione adequadamente, pois não se pode errar ou mesmo economizar em itens que comprometam sua funcionalidade e durabilidade como:

Correto dimensionamento:

     Todos os seus componentes devem respeitar critérios de cálculos para se obter medidas de traçados de caçamba , reforços, posicionamento do motovibrador, definição de seu torque e força centrifuga, relação entre distancias de centros de massa e outros detalhes técnicos que juntos possibilitam a estruturação adequada do equipamento para que gere não só atrito entre chips e peças mas o perfeito deslocamento da carga vibrante.

Devido tratamento térmico:

     Peças como a caçamba que devem passar por um alivio de tensão para que a constante vibração não cause fadiga no material (trincas)

Matéria prima aplicada:

     Como o equipamento é submetido a constante desgaste por vibração e abrasão não se deve economizar em material tanto estrutural como do próprio revestimento.